in

PAR: André Fernandes e Vinícius Paes

PAR Sons do Brasil
PAR: André Fernandes e Vinícius Paes. O podcast Sons do Brasil de hoje recebe o duo PAR formado pelo compositor, músico, arranjador, produtor e diretor musical André Fernandes (Ilha Solteira – SP / São José do Rio Preto – SP) e pelo poeta, cantor, compositor e violonista Vinícius Paes (Aluminio – SP / São Roque – SP) falando sobre o projeto PAR, que gerou o álbum de mesmo nome “Par”, lives, parceira, momento pandemia, festivais, a carreira solo de cada um, referências e muito mais.
Nos “Pitacos Sons do Brasil” teremos a apresentação das músicas de Bruno Conde (Santos – SP), grupo Arroeira (Sorocaba – SP) e Graziela Medori (São Paulo – SP) com Alexandre Vianna (Cachoeira do Sul – RD / São Paulo – SP).

PAR: André Fernandes e Vinícius Paes

 
 
00:00 /
 
1X

Por Serginho Sagitta.

Com 12 faixas, PAR celebra a parceria que brotou durante o 8º Festival Nacional da Viola promovido na capixaba Itapina, em 2013. Ambos se tornaram amigos na viagem de volta a São Paulo, quando Paes ofereceu carona para Fernandes e assim descobriram as múltiplas afinidades e referências musicais em comum, atributos que os levaram a promover vários shows em dupla, desde então. O disco homônimo foi lançado em Outubro de 2019 e conta com 12 faixas.

Sons do Brasil

O programa Sons do Brasil iniciou em 2010. No início, o Sons do Brasil era um projeto de shows presenciais ao vivo na capital paulista com artistas independentes. Mas depois se tornou programa de rádio com o mesmo objetivo: promover e disseminar músicas autorais.

O Sons do Brasil é veiculado originalmente pela Rádio USP FM, 93,7 em São Paulo, 107,9 e em Ribeirão Preto todos os domingos, às 14 horas, com reapresentação todas as quintas-feiras a meia noite.

O programa ainda é veiculado pela Rádio Internova todas as terças-feiras, às 21 horas, e domingos, às 10 horas, e Rádio Bloco todas as quartas-feiras, às 22 horas.

Postmortem Inc Long Live Metal

Postmortem Inc e o lançamento do álbum “The Conqueror Worm”

Acordaonça Azylo Hotel

Acordaonça: a poesia de Fernando Londrina