in

Palco AlmA Londrina no Demo Sul, conheça as bandas

Palco
Palco

Neste sábado acontece o Palco Alma Londrina dentro da noite do Festival Demo Sul 2018, uma parceria do Festival com a AlmA Londrina Rádio Web. a programação começa às 19hs com bate papos, encontro de zines e oficinas, além de 4 shows e discotecagem AlmA. Confira o line up de hoje.

Por Bruno Codogno, Bruna Myiaki e Victor Assis, especial para o Demo Sul 2018 

O grindcore experiente e angustiante de Subcut

A banda de grindcore Subcut foi criada em 1995 e ganhou projeção internacional com suas músicas de muito peso, extremismo e incisão. Com riffs atormentadores, explosivos, distorções vorazes e uma sonoridade colérica e homogênea, o Subcut se firmou no cenário nacional com a influência sonora da anti-música, uma concepção na qual se encaixam artistas que utilizam de barulhos e improvisação para se expressar musicalmente, descontruindo a imagem do erudito e da definição formal do que é música.

A banda, que não segue padrões ou defende bandeiras, traz em suas músicas o cotidiano humano, expressado através dos sonhos e angústias, além do desespero, compressos em muita complexidade. Entre todos os formatos, k7, LP, compactos, cd e coletâneas já são 34 lançamentos, tanto no Brasil como no exterior, com exemplos como “Contra Fatos Não Há Argumentos” (2008) e “Grind Years 2004/2011” (2014). O Subcut toca no Festival Demo Sul no dia 24 de novembro, no Cemitério de Automóveis (Av. Artur Thomas, 342), para compor as atrações do Palco AlmA.

SUBCUT:
Afonso Moura (bateria)
Andre Napa (guit)
Gustavo Santos (vocal)


O rock tosqueira no cosmos de Wi-Fi Kills

Com um garage rock repleto de referências galácticas, ficção científica, sintetizadores e capacetes, os Wi-Fi Kills transbordam seu som dançante e retrofuturista. É como se o Devo tivesse encontrado o Gories em algum lugar do cosmos. O quarteto garage tosquery anti-cibernético tem o EP “Wafer Sounds EP” (2016) e o Split “Wi-Fi Kills on the Planet of Three Dirty Rats” (2017) com a banda Three Dirty Rats. O Wi-Fi Kills toca na terceira noite de shows do Festival Demo Sul, no Palco AlmA Londrina, dia 24 de outubro, no Cemitério de Automóveis (avenida Arthur Thomas, 342).

Wi-Fi Kills:
Klaus Koti – synth, monotron, teclado
Babi Age – bateria
Fernando Nishijima – guitarra
Gean – guitarra


A resistência visceral da Maracajá

A Maracajá pulsa resistência com músicas que transbordam brasilidade por meio da mistura entre instrumentos convencionais e elementos eletrônicos. O nome da banda já expressa seu engajamento. “Maracajá é um nome tupi também dado a um felino sul americano em risco de extinção. Gostamos da sonoridade e da brasilidade que a palavra sugere”, conta José Silva, vocalista. Com a militância como veia principal, a banda provoca rupturas contra toda forma de preconceito por meio da sua resistência gritante.

As influências variadas – de Caetano Veloso à Linn da Quebrada – se concretizam em colagens únicas que dialogam perfeitamente com a performance visceral da banda, transpassada pelo conceito de bicho pessoa, uma ideia em trânsito que remete ao nosso lado animal e à sexualidade sem gênero.  A banda pretende lançar seu primeiro álbum em 2019, trazendo a experiência da passagem por importantes palcos. A Maracajá toca no sábado (24/11) no Cemitério de Automóveis (Av. Arthur Thomas, 342), a partir das 19h, no terceiro show do Demo Sul.

Maracajá                                                     
José Silva – Voz
Gabriel Kruczeveski – Guitarra e Controladora eletrônica
Bruno Pacheco – Contrabaixo
Lara Moratto – Flauta e saxofone alto
Daniel Mancebo – Bateria
Camila Rios – Percussão


One man band de tirar o chapéu

Nascido nas profundezas da Amazônia, o Lendário Chucrobillyman explora do minimalismo do rock, a urgência do blues e do punk, além da estética garagista, para transmitir um som diverso, simultâneo e frenético. Com cinco álbuns já lançados, a banda de um homem só naturaliza elementos do interior essencial brasileiro, com viola e percussão usadas criativamente para trazer sonoridades únicas, animalescas e selvagens. A coletânea do Lendário Chucrobillyman é baseada no crescimento em contato com o som constante dos animais selvagens e do homem em trabalho no campo. O homem orquestra possui em seu repertório músicas dos álbuns “Rock In Roll Primitivo” (2004), “O Lendário Chucrobillyman e sua Monobanda Orquestra” (2007), “The Chicken Album” (2008) e “Man-Monkey” (2013). O Lendário Chucrobillyman ainda possui um álbum gravado ao vivo, “O Lendário Chucrobillyman live at the Grande Garagem que Grava” (2007). A monobanda se apresenta no Festival Demo Sul no dia 24 de novembro, no Palco AlmA, no Cemitério de Automóveis (Av. Artur Thomas, 342).

 

festival

Bandas do Festival Demo Sul esbanjam diversidade

Luta, adjetivo feminino, eu luto