in

Bleeding Display celebra 21 anos de Death Metal em Portugal

Nessa semana, o podcast Long Live Metal dá sequência à série Metal Union com bandas do Cenário do Metal Underground de Portugal. Nesta segunda edição apresentamos a banda Bleeding Display, Death Metal de Lisboa, Portugal.

Entrevistamos os membros Sérgio Afonso (vocal) e Samuel Trindade (guitarra), para nos contar um pouco dos 21 anos de estrada da banda.

Ouça o podcast:

Bleeding Display celebra 21 anos de Death Metal em Portugal

 
 
00:00 /
 
1X

Por Vanderlei Castro.

A Bleeding Display foi formada em 1999, em Lisboa. Desde então vem se apresentando em vários eventos dedicados à cena do metal em Portugal. Além das apresentações nesses eventos a Bleeding Display se apresentou com grandes nomes do metal mundial como Cannibal Corpse, Krisiun, Cancer, Napalm Death, Analepsy e Inquisition.

Sergio Afonso nos contou sobre os primeiros lançamentos da banda: a demo Bleeding Promotion”, de 2000, e o split War End Death”, de 2003. Trabalhos que obtiveram boa receptividade e várias propostas para concertos.

Ways To End

Em 2006, a Bleeding Display lançou o primeiro álbum Ways To End”, que teve grande receptividade. Sérgio Afonso conta que para o lançamento do “Ways To End” houve uma certa demora devido as questões relacionadas ao processo de gravação. O álbum proporcionou à Bleeding Display as oportunidades de realizar concertos todos os meses e praticamente percorrer o país de norte a sul. Mas, infelizmente, a vida pessoal dos integrantes não permitiu, na época, realizarem concertos internacionais.

Deviance

Durante oito anos houve algumas mudanças na Bleeding Display. Em 2014, foi lançando o segundo álbum “Deviance”, que também teve grande receptividade dos fãs. Devido às mudanças de formação e à dificuldade de conciliar a vida pessoal de todos com o processo de composição e gravação, também houve demora para ser lançado. Mas também foi um trabalho que rendeu vários shows para a banda.

Sérgio Afonso e Samuel Trindade contam como foi se apresentar junto a grandes nomes do metal mundial. O vocalista revela como foi a sensação de dividir o palco e backstage com sua maior influência: Cannibal Corpse. A primeira apresentação de Samuel com a Bleeding Display foi, exatamente, com uma de suas maiores influências: a Obituary (EUA). 

Sérgio e Samuel contam aos ouvintes do Long Live Metal sobre a atualidade e novidades da banda. A Bleeding Display atualmente trabalha no processo de composição e logo entrará em estúdio para gravar o novo álbum. A previsão de lançamento é para o primeiro semestre de 2021.

EP 28 – Transporte ativo em Londrina, cinema local em streaming e show de rock

Agenda das Vilas: 17 a 23 de agosto de 2020