in

Live na nave: Família estranha faz session ao vivo neste domingo (12)

A apresentação é parte das comemorações de 1 ano do coletivo espaço nave

Live na nave: Família estranha faz session ao vivo neste domingo (12)

Família estranha faz session ao vivo neste domingo! A banda londrinense Família Estranha realizará uma apresentação ao vivo, transmitida pelo canal do youtube do coletivo “Espaço Nave“. A apresentação do trio é parte das celebrações de um ano do coletivo. Desde 2019, o coletivo promove oficinas artísticas, cursos, apresentações e recitais de música e artes. A Live começa às 16h. Durante o evento, é possível colaborar com o “chapéu virtual” da banda, disponível pela plataforma abachashi. Veja no link:

Com a impossibilidade de juntar pessoas em um mesmo espaço, as sessions ao vivo foram uma forma que o grupo encontrou de se manter conectado ao público, e ainda, levar um pouco das músicas, e do clima enérgico das apresentações para o público (ainda que à distância): “Não é o ideal, mas é o que podemos fazer, tanto para nos manter ativos e tentar gerar renda, quanto para suprir a necessidade do público e ajudar a melhorar os níveis de saúde mental durante esse tempo tão difícil. Parece que agora estamos percebendo o quanto a arte é importante e o quanto sentimos falta dos encontros que os momentos artísticos nos proporcionam. Não é a mesma coisa, mas nas lives você também encontra amigos no chat e tem um pouco da sensação de estar no junto”, contou o pessoal da banda em entrevista à Alma Londrina Rádio Web.

Além da live, Suy contou sobre os preparativos para o primeiro álbum oficial da banda, que será gravado ainda este ano. Em breve, a banda irá lançar uma campanha de crowdfung para envolver e convidar o público e pessoas que acompanham o trio para participar neste processo. “O álbum será feito em parceria com o Estúdio Toqô que também faz parte do coletivo Espaçonave.
Não sei se vocês sabem mas grande parte do financiamento do nosso primeiro EP foi através do nosso tão amado”chapéu” dos shows nas ruas, praças, feiras, etc. onde o público tem contato direto com o artista, e contribui com o que pode, sem a necessidade de estar em ambientes como bares e outros, que são muito atrativos para alguns, mas que deixa de fora outros que não tem acesso a este ambientes por “n” motivos”, contou a família em entrevista.

“Então, o crowdfouding, não foge desta ideia, cada um contribui dentro da suas possibilidades, e recebe uma recompensa, como forma de agradecimento. Em relação as gravações, estamos em fase de pré-produção e pretendemos entrar no estúdio pra gravar no final deste mês.” ela acrescenta. “A Família inicia as gravações do álbum no final de julho e faremos futuras lives também. No coletivo Espaçonave esse mês já se iniciou cheio de novidades pois julho é nosso mês de aniversário então preparamos uma programação online bem massa pra todos. Estamos soltando a programação pouco a pouco, então quem quiser saber mais é importante seguir a Família Estranha e o Coletivo Espaço Nave nas redes sociais pra ficar ligado nas novidades.

A banda – Muito longe dos comerciais de margarina, a Família Estranha nasceu da intenção de fazer música na rua – e a liberdade desse palco diz muito sobre os desejos que guiam a banda.
Transitando entre o blue grass e old time music, a Família Estranha constrói seu espetáculo como um parêntese da vida urbana, trazendo para a simplicidade cotidiana instrumentos como o banjo, violão, baixo acústico e violino, além da potente voz feminina de Suy Correa. Recentemente a banda participou do Contratempo Festival.

O trabalho conquista o público pela aura retrô e, sobretudo, pela qualidade harmônica – que pode ser reconhecida não só no produto musical, mas, principalmente, nesse momento decisivo da fruição, onde o transeunte se torna fruidor naquele lugar por onde caminha todos os dias.

Coletivo Espaço Nave: A Espaço Nave é um lugar de criação, disseminação e troca de conhecimentos, propulsão de potências artísticas, espaço de encontro e debate de idéias. Produção fonográfica; Estudos e criações musicais; Artes visuais; Literatura; Teatro; Culinária; Produção cultural em Londrina-PR.

Contratempo Festival: 15 minutos de silêncio que fizeram barulho

Edição da Lua crescente, arquétipo da donzela