Carregando...
Especial

Ameaças, saúde e alguns flagrantes – entrevistamos o pessoal da página Vacilo Covid Londrina

Criada no mês de abril de 2020 em Londrina, a página Vacilo Covid Londrina (@vacilocovidlondrina)  no Instagram, ganhou muita repercussão após expor em redes sociais flagrantes de aglomeração, e outras situações diversas  de desrespeito às normas de segurança e isolamento – inclusive em espaços públicos como o calçadão e o centro de Londrina. As medidas foram exigências de segurança durante o período de pandemia devido ao novo coronavírus.

Por Bruno Leonel (foto Vivian Honorato)

Gerenciada por um grupo de pessoas da cidade (que não é vinculado a nenhum coletivo, ou movimento de ativismo) a página atingiu quase 4 mil seguidores na mesma semana em que foi lançada. Atualmente, nesta mesma semana em que mais de 1900 casos do Covid 19 foram oficialmente registrados em todo o Paraná, a página já contava com  mais de 16,7 mil seguidores. No último dia 12 também, o município anunciou um aumento no número de testes realizados na cidade .

A página recebe colaborações pelo inbox do Instagram, e compartilha os registros, sempre preservando a identidade das pessoas envolvidas. “A ideia é fazer as pessoas pensarem duas vezes antes de postar fotos de “rolés” e sociais, porque quanto mais gente postando, mais as pessoas são influenciadas a fazerem isso e mais pensam que a quarentena acabou”, contou um dos administradores da página em entrevista à Alma Londrina. Em meio  a questões sobre a polêmica de abertura do comércio em Londrina, discussões sobre a subnotificação do número de casos em relatórios oficiais e outras polêmicas, entrevistamos o pessoal responsável pela página, que comentou um pouco sobre a ideia, e sobre como a página pode ser um veículo para conscientização sobre o problema. Confira:

Como surgiu a ideia de fazer a página com o foco na questão da quarentena em Londrina?
A gente viu a página de BH (@vacilocovid19bh), quando começou, e tivemos a ideia de trazer pra Londrina e ver no que dava. Eu criei e deixei sem postar nada, em 1 hora tinha mais de 100 seguidores, sem divulgação.

Vendo as notícias todas que são divulgadas na cidade (em relação ao número de casos, e até sobre uma suposta subnotificação que tem acontecido), vocês têm alguma opinião sobre como o município gere o problema?
Acredito que não seja só a subnotificação, mas a forma com que eles passam as informações. Na semana passada levantamos um ponto que pode parecer simples e óbvio pra alguns, mas é um pouco complicado.

No último boletim está “casos confirmados em Londrina”, 15, quando na verdade em Londrina tem bem mais, porém, de moradores de cidades da região que estão em tratamento aqui, mas o vírus está em Londrina, “circulando na cidade”. A mesma coisa acontece com os casos suspeitos.

O Marcelo Belinati fala em lives transmitidas pela prefeitura que eles não colocam no boletim os casos da região, mas no boletim não diz isso em lugar nenhum, e o alcance da live dele é menor do que os boletins. Além do que, ele diz isso por 30s durante uma live de quase duas horas, muita gente acaba não vendo, e no boletim eles não informam isso. Então, é complicado, porque deve ter muito mais gente com coronavírus circulando pela cidade do que a quantidade que eles informam. Fora a questão da falta de testes, né? O número de casos suspeitos duplicou de ontem pra hoje (12 de maio) então a situação é tensa mesmo e de insegurança, parece que estamos de olhos vendados. (Nota: Até o dia 12 de maio, oficialmente, Londrina havia confirmado o número de 120 casos).

O perfil do Vacilo Covid foi muito visto e seguido por pessoas de toda a cidade em poucos dias. Como vocês notam isso? Talvez uma mostra de como muito mais gente tem se conscientizado?
A gente não vê tanto como uma conscientização direta, porque é complicado. A ideia é fazer as pessoas pensarem “duas vezes” antes de postar fotos de “rolés” e sociais, porque quanto mais gente postando, mais as pessoas são influenciadas a fazerem isso e mais pensam que a quarentena acabou ou que não vai adiantar ficar em casa. A gente procura passar informações e dados sobre o COVID-19, com o intuito também de além de conscientizar através das fotos, trazer dados relevantes e para a reflexão do momento que estamos vivendo.

Detalhes do feed da página Vacilo Covid Londrina, com fotos tiradas na semana da reabertura do comércio em Londrina (20 de abril) – Foto: Divulgação Vacilo Covid Londrina

Podem comentar alguma história (mensagem emocionante) ou curiosidade positiva que aconteceu com vocês, como consequência do trabalho com a página? Aconteceram problemas e ameaças também?
Ameaças a gente teve bastante. Pessoas falando que a página não agregava em nada, ou que não tínhamos nada pra fazer, não tínhamos conta pra pagar… falavam muito em arrecadarmos mantimentos pra quem precisa, mas quando fizemos isso, essas mesmas pessoas sumiram. Aí vimos que na verdade elas não estão preocupadas com o fato de ajudarmos ou não, e sim com medo de serem expostas, pois já havíamos recebidos denúncias dessas pessoas.

Um caso que achei interessante foi uma foto que postamos de um churrasco, e o autor estava comentando coisas do tipo “a casa é minha e faço churrasco com quem eu quiser..”, e a amiga estava junto defendendo. Tempo depois, ela infelizmente contraiu o coronavírus e a gente ficou sabendo e fomos atrás dela pra ver como estava, e achei interessante ela falando que não tinha noção de como era isso, e que realmente é sério, e tentou conversar com esses amigos do churrasco pra conscientizar eles também. Então acredito que seja uma cadeia. Quanto mais gente tendo noção do real perigo que isso traz, mais a gente vai conseguir unir forças pra passar por isso.

A página ficou fora do ar por alguns adias (até a primeira semana de maio), o que ocorreu? Foi devido a alguma denúncia? O pessoal do Instagram deu um retorno a vocês sobre isso?
Em relação a pagina ser apagada, foi o próprio Instagram, não foi por conta de denúncias. Eles desativaram diversos “vacilocovid” que tinham muitos seguidores, incluindo a nossa, com o motivo de violação dos termos. Conversamos com alguns outros e eles não conseguiram recuperar ainda, acredito que eu tenha conseguido por não ter foto expondo rostos, como os outros faziam.

Para finalizar, vocês se consideram otimistas com os próximos meses aí para este cenário da pandemia? É possível pensar em melhoria geral?
Olha, sinceramente, é complicado estar desse lado. A gente recebe inúmeras denúncias, e a gente vê que tem muita gente egoísta, muito mais do que a gente pensa. Quando desativou a conta, eu até pensei em parar de vez, porque não estava me fazendo bem ver tudo isso, somado com ameaças, então não estou muito otimista.