in

Maria Montessori: revolucionária da Educação

Maria Montessori educadora dia do professor

Maria Montessori: revolucionária da Educação. Em homenagem ao Dia do Professor, comemorado em 15 de outubro, o podcast I Bravissimi Cast apresenta esta italiana que mudou os rumos da Educação. E para falar sobre o método pedagógico de Maria Montessori, nós conversamos com Maria Regina Mangeot, fundadora da escola Clover Montessori, em Londrina (PR), e Vanessa Araújo, diretora e coordenadora pedagógica da Associação I Bravissimi

Fique agora com a história desta grande mulher:

Maria Montessori: revolucionária da Educação

 
 
00:00 /
 
1X

Por Letícia Cazarin.

Maria Tecla Artemísia Montessori nasceu em 31 de agosto de 1870, na comuna de Chiaravalle, província de Ancona, em uma época em que mais de 50% da população italiana era composta por analfabetos. Filha de Alessandro Montessori, funcionário do Ministério das Finanças, e Renilde Stoppani, Maria tinha 5 anos quando a família se mudou para Roma, onde cursou a educação básica e superior. 

Montessori foi a primeira mulher na Itália a se formar em medicina, mas suas escolhas na adolescência não antecipavam essa opção de carreira. Até que, caminhando pelas ruas de Roma, Maria viu uma mulher pobre e seu filho, sentados em um degrau da calçada, e o menino brincava somente com um retalho de papelão. Mais tarde, contando a história a uma amiga, ela diria que “coisas estranhas acontecem a nós, que nos conduzem a objetivos de que não temos consciência”.

Durante o período da sua formação, Maria precisava lidar com machismo acadêmico e científico. Por seu forte desejo de permanecer na carreira e o suporte que recebia de seus pais, ela conseguiu continuar o curso e se formar em Medicina. No final, Montessori era uma defensora do feminismo científico.

Luta

Em 1897, Montessori começou a trabalhar como assistente voluntária da clínica de psiquiatria da Universidade de Roma. O trabalho, que ela exercia, consistia em examinar crianças que pudessem ser retiradas das instituições psiquiátricas da época e terem acesso às atividades didáticas.

Nessa instituição, Maria encontrou faltas graves referentes à higiene, técnicas de tratamento, equipamento médico, superlotação e falta de registro das clínicas. Percebeu que seus cuidadores eram bastante abusivos e sem cuidado. Conversando com os adultos, Montessori ouviu que as crianças eram sujas porque se jogavam no chão para brincar com migalhas depois que acabavam de comer. Ela notou que as crianças não tinham nada além de suas camas – nenhum brinquedo, nenhum objeto, e que as migalhas eram sua única opção de distração.

Método Montessori

Ao observar o atraso dos métodos de ensino, desenvolveu uma linha pedagógica que se adaptava às necessidades dos pequenos. Em 1907, deu início à pratica do seu sistema, abrindo a primeira “Casa dei Bambini”, na Itália. Começou com crianças que não possuíam contato com as escolas, e o resultado foi tão surpreendente que os pequenos ensinados pelo método Montessori estavam mais avançados do que aqueles que sempre frequentaram a escola regularmente.

Seu método ficou conhecido mundialmente. Apesar de tantos obstáculos enfrentados durante a vida, ela não desistiu do ensino infantil. Foi indicada ao prêmio Nobel da Paz por três vezes, escreveu livros, ministrou cursos e auxiliou muitos professores nessa jornada. Ao longo da vida, Maria teve um filho, Mario Montessori, que permaneceu com a mãe na caminhada para uma educação melhor.

“È necessario che l’insegnante guidi il bambino, senza lasciargli sentire troppo la sua presenza, così che possa sempre essere pronto a fornire l’aiuto desiderato, ma senza mai essere l’ostacolo tra il bambino e la sua esperienza”Maria Montessori.

Em maio de 1952, Maria Montessori faleceu de hemorragia cerebral. Mas, seu legado não parou por aí. Atualmente, existem mais de 25 mil escolas montessorianas ao redor do mundo, levando seu legado de amor, liberdade e empatia.

Contatos

Inscreva- se no site www.ibravissimilondrina.org ou envie um WhatsApp para +55 (43) 9 9957-7031 e saiba mais sobre a Associação. A I Bravissimi agradece e parabeniza todos os professores que lutam por uma educação melhor.

Equipe:

Roteiro e apresentação: Letícia Cazarin

Produção: Hylea Ferraz

Edição: Thiago Franzim

Convidadas: Vanessa Araújo e Maria Regina Mangeot

Produção Radiofônica: Teixeira Quintiliano

Coordenação: Raul Viana

Direção Geral: Daniel Thomas

Música: Ciaccona, de Francesca Caccini.

EP43 – A voz das mulheres na literatura londrinense

zumbis scientia vulgaris

De onde surgiram os Zumbis?